Catequese com adolescentes

4
Ô etapa difícil (na minha opinião)!! Evangelizar adolescentes é um grande desafio, partilho com você um texto que nossa querida catequista Imaculada publicou no blog dela e eu achei muito interessante.







Essa etapa é a mais temida, acredito eu, pelos catequistas... Talves porque não estejam preparados para lidar com a transição em que eles passam nesse período...
Daí, a importância do catequista ler sobre "catequese conforme as idades", que o DNC vem tratar no capítulo IV...
Acredito também que essa seja a etapa onde eles mais precisam estar na catequese, em contato com outros da mesma idade e sendo orientado por um catequista, de preferência capacitado para trabalhar com essa idade...
Fico desolada, com a atitude de alguns pais que não querem, ou não faz questão de que o filho persevere na catequese, talvez pensando em descansar por um tempo e depois trazer para receber o próximo "diploma", a Crisma...
Cabe ao catequista não aceitar essa decisão e tentar de todas as formas conscientizá-lo de que essa é a etapa é muito importante...
Outro dia conversava com um catequista e ele me perguntava o que fazíamos com os catequizandos que recebiam a primeira eucaristia. E afirmava que na sua paróquia, a maioria sumia...
Disse que temos a etapa da perseverança, que são dois anos com temas próprios e depois disso, numa sequência, a catequese de crisma, mais dois anos...
Ele disse que na paróquia dele, não tem essa etapa, pois não tem catequistas...
Puxa, fiquei triste, pois existe lá uma lacuna, um vazio que não poderia ter...
Que bom se nossos párocos, nossos coordenadores, lessem esse diretório e com garra e coragem começassem um apelo à comunidade na busca de catequistas...
Rezemos ao Senhor, para que ele envie operários para essa grande messe...
Só rezar não adianta, precisamos ser o microfone na boca de Deus... Gritar aos quatro cantos se preciso for.
Peça nas missas, onde tem tantos esquentando bancos sem comprometimento... Coloque um "chamado" nas emissoras de rádio...
Façam um "manifesto" pelas ruas com faixas, afinal existem manifestos pra tudo, porque não para pedir catequistas...
Só não podemos é nos conformar e ficar no efeito "Gabriela": aqui é assim, sempre foi assim e sempre será assim...


195 do DNC
A adolescência, bem orientada, é um dos alicerces para o desenvolvimento de uma personalidade equilibrada e segura. Nesse período o adolescente cresce na consciência de si mesmo, de suas potencialidades, sentimentos, dificuldades e das transformações
que estão acontecendo em sua vida. Isso pode ocasionar desajustes emocionais e comportamentais, com os quais nem sempre saberá lidar. A característica principal dessa idade é o desejo de liberdade de pensamento e ação, de autonomia, da auto-afirmação, de aprendizagem do inter-relacionamento na amizade e no amor. Essa fase tão turbulenta nem sempre recebe os devidos cuidados pastorais, ocasionando um vácuo entre a Primeira Comunhão Eucarística e a Confirmação. Urge para os adolescentes um projeto de crescimento na fé, do qual eles mesmos sejam protagonistas na descoberta da própria personalidade, no conhecimento e encantamento por Jesus Cristo, no compromisso com a comunidade e na coerência de vida cristã na sociedade.

Atividades próprias para a catequese nessa idade são:
a) acolher o adolescente na comunidade e favorecer o compromisso real e fiel na mesma;
b) oferecer oportunidades para que, na busca do seu universo, nas suas descobertas, tendências e valores, o adolescente se sinta estimulado para a vivência cristã;
c) criar grupos de catequese de perseverança, coroinhas, adolescência missionária, animação, canto,teatro, cinefórum, escotismo, acampamentos,missão de férias;
d) promover atividades artísticas, danças, músicas;
e) realizar passeios, entrevistas, romarias, excursões; refletir temas próprios da idade, buscando auxílio das ciências, sobretudo a psicologia;
f) organizar equipes de serviços comunitários, tanto eclesiais quanto sociais;
g) alimentar a consciência de que o crescimento na fé requer uma formação continuada rumo à maturidade em Cristo (cf. Ef 4,13).

Fonte: Blog da Imaculada

4 comentários:

Tetê disse...

Oi Clécia e Sandra! Feliz de ter encontrado vocês no Manancial! Trabalhar com adolescentes nunca é fácil mas com a ajuda do Espírito Santo é uma benção! Bjks e um final de semana abençoado e aquecido pelo fogo do Espírito Santo! Tetê

Angel@ disse...

Olá, amigos!
Que blog encantador e abençoado. Repleto de luz e amor! Já sou seguidora. Ficarei feliz se visitarem meus cantinhos também.

nospassosdejesusamor.blogspot.com

docessonhosdepapel.blogspot.com

Fiquem com Deus!
Beijos,
Angela

Anônimo disse...

Olá, eu sou catequista e minha turma tem 15 anos. Realmente muitos catequistas tem medo de pegar as turmas de adolescentes, mas eu não acho que seja um sacrifício. Gosto do que faço, é difícil sim, mas nada assustador. Na minha Paróquia nós usamos para a catequese o sistema de Escola de Formação na Fé disponibilizado pelo SINE e é uma maravilha, nós temos turmas de catequese de 3 a 15 anos, depois eles passam para o ministério de Jovens onde fazem encontros mais voltados para oração do que para catequese e são convidados para fazer o Retiro de Evangelização, só aí se preparam para o sacramento da crisma. Eu agradeço demais a Deus pela Catequese da minha Paróquia, porque ela acompanha desde a mais tenra idade e depois do retiro de evangelização, nós adultos também temos catequese, acabando só com a morte, como diz o Papa João Paulo II no documento Catechesi Tradendae

Catequese Caminhando disse...

Obrigada por sua partilha.
Hoje vejo que é mais tranquilo, mas ainda assim considero mais desafiante.
Grande abraço e que Deus abençoe o seu evangelizar!

Postar um comentário

Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo lhe acompanhem!
Seu comentário é precioso.
Muito obrigada!
Afetuosamente,
Clécia e Sandra

Related Posts with Thumbnails